MOTO3 REPÚBLICA CHECA: KORNFEIL CONQUISTA PRIMEIRA POLE EM CASA

MOTO3 REPÚBLICA CHECA: KORNFEIL CONQUISTA PRIMEIRA POLE EM CASA

pole-czechGP-KornfeilA sessão de classificação da Moto3 do GP da República Checa foi marcada pela ausência de Jorge Martín, que esta manhã foi operado com êxito da fratura sofrida ontem no pulso esquerdo. Com um dos pilotos mais fortes da Moto3 (especialmente nas sessões de classificação) fora da disputa os demais pilotos tinham uma boa possibilidade conquistar a pole.

Di Giannantonio, Canet e Rodrigo foram os três pilotos que brigaram pela pole durante toda a sessão de QP. Mas, quando o cronometro já marcava próximo o final das tentativas e todos só tinham uma última chance para marcar sua volta rápida, parece que os três “dormiram sobre os louros” e irão largar na 5ª, 6ª e 7ª posições respectivamente. Desta maneira, os três ficaram fora da primeira linha do grid, de onde largarão Kornfeil, McPhee e Ramírez.

Uma conquista especial para Kornfeil que pode celebrar “em casa” com toda a sua torcida. Uma motivação extra que seguramente será aproveitada pelo piloto checo durante a corrida de amanhã. As KTM dominaram a classificação e ocuparam 10 das 15 primeiras posições do grid.

Quem se beneficiou da ausência de Martín foi o italiano Bezzecchi, que agora tem a chance de assumir a liderança do campeonato. Apesar de que tanto ontem quanto hoje ele não conseguiu rodar com um bom ritmo e vai largar da 14ª posição.

Classificação para a pole de Moto3 do GP da República Checa

  1. Jakub KORNFEIL (KTM) 2’07.981
    2. John MCPHEE (KTM) 2’08.400
    3. Marcos RAMIREZ (KTM) 2’08.426
    4. Philipp OETTL (KTM) 2’08.445
    5. Fabio DI GIANNANTONIO (Honda) 2’08.473
    6. Aron CANET (Honda) 2’08.556
    7. Gabriel RODRIGO (KTM) 2’08.778
    8. Nakarin ATIRATPHUVAPAT (Honda) 2’08.885
    9. Niccolò ANTONELLI (Honda) 2’09.004
    10. Enea BASTIANINI (Honda) 2’09.078
    11. Jaume MASIA (KTM) 2’09.144
    12. Kazuki MASAKI (KTM) 2’09.159
    13. Dennis FOGGIA (KTM) 2’09.162
    14. Marco BEZZECCHI (KTM) 2’09.205
    15. Albert ARENAS (KTM) 2’09.333
    16. Tony ARBOLINO (Honda) 2’09.494
    17. Lorenzo DALLA PORTA (Honda) 2’09.524
    18. Nicolo BULEGA (KTM) 2’09.591
    19. Darryn BINDER (KTM) 2’09.709
    20. Kaito TOBA (Honda) 2’09.807
    21. Adam NORRODIN (Honda) 2’10.146
    22. Andrea MIGNO (KTM) 2’10.274
    23. Stefano NEPA (KTM) 2’10.408
    24. Vicente PEREZ (KTM) 2’10.439
    25. Alonso LOPEZ (Honda) 2’11.049
    26. Filip SALAC (KTM) 2’11.119

Não classificados
Tatsuki SUZUKI (Honda)
Ayumu SASAKI (Honda)

Fonte: solomoto.es | Miriam Panisello

 

Anúncios
Publicado em Competições, Motociclismo | Marcado com | Deixe um comentário

ANTÔNIO FRANZEN BUSCA A LIDERANÇA NO BRASILEIRO DE MOTOVELOCIDADE NESTE DOMINGO

ANTÔNIO FRANZEN BUSCA A LIDERANÇA NO BRASILEIRO DE MOTOVELOCIDADE NESTE DOMINGO

Antonio FranzenÉ em Cascavel/PR, neste domingo (5), que o mineiro Antônio Franzem entra na pista do Autódromo Internacional Zilmar Beux para buscar a liderança na 3ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Ele está a 10 pontos do líder, o paulista Michel Velludo e já está na cidade para a disputa do fim de semana.

A programação começou na sexta-feira, com a realização dos treinos livres. Os treinos classificatórios, que definem o grid de largada, estão previstos para hoje e as provas serão disputadas amanhã, domingo.

O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade é disputado em cinco etapas. Depois de Cascavel, a competição volta a Goiânia para a realização da 4ª etapa, no dia 9 de setembro; e Curvelo encerra a temporada com a 5ª e decisiva etapa no dia 14 de outubro no Circuito dos Cristais.

Classificação do Brasileiro de Motovelocidade

Categoria Supersport
1º) Michel Seixas Velludo(Yamaha), com 50 pontos
2º) Antônio Carlos Franzen Bezerra (Kawasaki), 40
3º) Ricardo Juliani Ferreira (Kawasaki), 40
4º) Kioman de Jesus Navarro Munhoz (Honda), 35
5º) Sérgio Ferreira de Laurentys (Moto não divulgada), com 34 pontos

Fonte: Flavio Bergmann

 

Publicado em Competições, Motociclismo | Marcado com | Deixe um comentário

JOMAR GRECCO PODE SER PENTA NO IBITIPOCA

JOMAR GRECCO PODE SER PENTA NO IBITIPOCA

Jomar Grecco

Na Zona da Mata mineira, na região de Juiz de Fora, Jomar Grecco e Fábio Amaral disputam o Ibitipoca Off Road, válido pela final do Campeonato Mineiro de Regularidade. E no Rio Grande do Sul, na cidade de Farroupilha, os pilotos Rômulo Bottrel, Patrik Capila e Ronald Santi encaram a penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro

Fabio Amaral

O Ibitipoca Off Road é uma tradicional prova do calendário do motociclismo brasileiro,  está em sua 29ª edição e mais uma vez é palco da final do Mineiro de Regularidade. Enquanto o atual campeão brasileiro Jomar Grecco luta pelo pentacampeonato na competição (o piloto venceu as quatro últimas edições), Fábio Amaral quer encerrar com mais uma vitória no Campeonato Mineiro e comemorar mais um título na temporada na Categoria Brasil. Assim como seu companheiro Jomar Grecco, Fábio Amaral também conquistou o título de Campeão Brasileiro em 2018 e representam os dois primeiros títulos na temporada de Enduro.

Romulo Botrel

Na cidade de Farroupilha/RS, ao lado do Santuário de Caravaggio, os pilotos Rômulo Bottrel, Patrik Capila e Ronald Santi aceleram suas motocicletas Yamaha em prova válida pela penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM. Dependendo do resultado, Bottrel e Capila já podem comemorar o título de campeões brasileiros em 2018.

Patrik Capila

Eles precisam de 28 pontos em 50 a ser conquistados, ou seja, dois sétimos lugares. Se conseguirem os resultados, só precisam largar na última etapa – nem precisam fazer a prova – para que a mesma possa ser descartada, conforme o regulamento. Desta forma, Bottrel conquistará o título de campeão da Categoria E3 e Patrik o campeonato na Categoria Junior. Já Ronald Santi tem um desafio maior. Além de vencer, ele tem que torcer por combinação de resultados para manter aberta a chance do título. O mineiro ocupa a terceira colocação no Campeonato na Categoria E4, para motos nacionais.

Ronald Santi

Fonte: Flávio Bergmann

 

 

 

Publicado em Competições, Enduro | Marcado com | Deixe um comentário

INGRESSO PRO JOGO EM LOJA DE MOTOS, SÓ NO GRUPO ORANGE

INGRESSO PRO JOGO EM LOJA DE MOTOS,
SÓ NO GRUPO ORANGE

Venda Ingresso O2BH KawaFãs, admiradores e torcedores do América Mineiro agora podem garantir sua presença nos jogos do Coelhão em casa, na Arena Independência em Belo Horizonte, comprando ingressos nas concessionárias do Grupo Orange: O2BH Yamaha, O2BH Kawasaki e Orange BH KTM. O time é o atual 10 colocado no Campeonato Brasileiro de Futebol e enfrenta o Palmeiras no próximo domingo, às 16h. A concessionária estará aberta sábado até às 13h, comercializando camisas do time e ingressos para o jogo.

Confira os preços, endereço e horários:

Valores dos ingressos:
Portão 3 (Especial Pitangui) – R$ 30 (R$ 15 a meia-entrada)
Portão 4 (VIP Pitangui) – R$ 40 (R$ 20 a meia-entrada)
Portão 6 (Especial Minas) – R$ 20 (R$ 10 a meia-entrada)
Portão 10 (Cadeira Ismênia – Visitante) – R$ 24 (R$ 12 a meia-entrada)

Concessionárias  Grupo Orange (Av. Barão Homem de Melo, 4.278, Loja 1)
– Sábado: 08h às 13h

Fonte: Flávio Bergmann

 

Publicado em Competições, Comportamento, Mercado | Marcado com | Deixe um comentário

34° EPAL RECEBE PESQUISADORES DE CUBA, ARGENTINA E BRASIL

34° EPAL RECEBE PESQUISADORES DE CUBA, ARGENTINA E BRASIL

O encontro gratuito acontece na quinta-feira (09/08), às 14h00, na Escola de Artes e Comunicação (ECA) da Universidade de São Paulo

34_epal

No dia 09 de agosto, às 14h, acontece mais uma edição do Encontro de Pesquisadores da América Latina (EPAL), que faz parte do Programa de Pós Graduação Integração da América Latina – da Universidade de São Paulo. Dessa vez, a comissão organizadora receberá pesquisadores de origem brasileira, cubana e argentina das áreas de Cultura, Ciências Sociais e Relações Internacionais. Eles irão apresentar estudos que estão desenvolvendo referentes à América Latina. O evento terá lugar na sala 205 da Escola de Artes e Comunicação (ECA), localizado à Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443, Cidade Universitária, em São Paulo.

A abertura dessa edição estará a cargo do professor Pedro Alexander Cubas Hernández, da Universidade Federal de Mato Grosso, que apresentará a pesquisa intitulada “A questão racial na América Latina: perspectivas epistêmicas positivistas entre fins do século XIX e inícios do XX”. O pesquisador cubano apresenta uma análise histórica, a partir da teoria positivista, sobre o racismo na região. Em seu trabalho ele trata da desigualdade das raças humanas, em que caucasianos (brancos) eram considerados raça superior, enquanto negros eram demonizados e os povos originários e aborígenes tinham seus costumes recriminados.

O EPAL recebe também os pesquisadores Rita de Cássia Marques Lima de Castro (UMC; CORS-USP e NESPI-USP) e Paulo Sérgio de Castro (UBA; PROLAM/USP; UMC), que apresentarão o estudo “Reconhecimento dos povos latino-americanos entre suas próprias nações: uma questão de identidade ou de interesse?”, publicado na coletânea “O mundo indígena na América Latina” (Org. Beatriz Paredes, São Paulo: Edusp, 2018). A pesquisa trata sobre o desafio do reconhecimento da identidade dos povos latino-americanos entre suas próprias nações, considerando-se a estrutura do mundo atual, com uma grande quantidade de etnias, fatores como Estados monoculturais tentando lidar com policulturas e minorias que despontam no cenário reivindicando seus interesses legítimos em um cenário rígido. Diante do cenário exposto, os pesquisadores procuram responder o reconhecimento dos povos latino-americanos entre suas próprias nações é uma questão de identidade ou de interesse.

A doutoranda argentina Amanda Carolina Barrenengoa da Universidad Nacional de La Plata (UNLP) irá tratar sobre o projeto de integração física no âmbito do bloco sul-americano UNASUL, no eixo Capricórnio. Com a apresentação intitulada “Los entramados de la integración sudamericana en Brasil: Estados, actores y estrategias en el proceso de integración desde el COSIPLAN- UNASUR (2008- 2015)”, a pesquisadora propõe investigar a participação de outros atores no projeto, como organismo financeiros das obras, construtoras e funcionários – responsáveis em analisar os projetos de infraestrutura.

Por fim, quem comparecer ao EPAL, terá a oportunidade de conhecer o estudo “Janelas de empatia: elementos identitários da América Latina em programas infantis de TV da Argentina e da Colômbia” da pesquisadora Giovana Rafaela Botti Resende – Mestre pelo PROLAM/USP. O trabalho investiga a presença de elementos de identidade da América Latina em programas infantis de televisões públicas dos dois países a fim de mapear quais imagens e construções narrativas representam e indicam marcas culturais da região nos programas dirigidos a crianças. Para tal análise, a Giovana Resende analisa fragmentos das séries Medialuna y las noches mágicas (do canal PakaPaka da Argentina) e Guillermina y Candelario (TV Señal da Colômbia).

EVENTO GRATUITO:
34° EPAL- Encontro de Pesquisadores da América Latina
Realização: Comissão de Alunos e ex-alunos do Prolam- Programa de Pós Graduação Integração da América Latina -Universidade de São Paulo
09 de agosto, quinta-feira – das 14h às 17h30
Prolam/ECA – Escola de Comunicações e Artes/Universidade de São Paulo
Sala 205, 2º andar
Email: epal.prolam@gmail.com
Fones: 3091 3587 e 3091 3589
Alessandra Oliveira (MTB 33655) e M. Nepomuceno( MTB 16 246)

 

Publicado em Comportamento | Marcado com | Deixe um comentário

SEGURANÇA VIÁRIA: O DILEMA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

SEGURANÇA VIÁRIA: O DILEMA DA
SEGURANÇA DO TRABALHO

palestra-01082018133340370

Antoniosi, de Matão, parou toda linha de produção para educar funcionários e colaboradores – Foto: Diego Cipó

Quando criei o Projeto Motociclismo com Segurança em 2012, após anos atuando como jornalista em duas rodas, somando meu expertise em Direito, produto (moto) e como usuário de moto (hard user), notava a grande demanda não no mercado, mas na sociedade.

Analisando os números do DPVAT e INSS, passei oferecer meu serviço para empresas e tomei ciência da triste realidade: existe demanda, mas o departamento de Segurança do Trabalho tem pouca verba, quando tem, e o pior: tempo escasso.

Entre 2012 e 2013, escrevi textos que, graças a Deus, continuam atuais, apesar de mudanças numéricas ou pequenas alterações estatísticas.

Desde então, vendo a dificuldade da Segurança do Trabalho na possibilidade de remunerar, encarei o desafio em fazer de graça, isso mesmo, gratuitamente, sempre buscando patrocínio ou apoio. Das dezenas de empresas que já atendi, apenas uma tinha verba para me remunerar, mas a qualidade do serviço prestado nunca foi alterado pela questão pecuniária.

Minha atitude se deu, porque quando você tem marcado no espírito a arte de ensinar e sabendo que a informação salva vidas, a questão de remuneração, bem como, se determinada pessoa jurídica merece ou não, fica em segundo plano. Não quero saber se o cara é corinthiano, palmeirense, negro, branco, índio ou japonês, é necessário salvar aquele cara.

Como falo nas palestras: acidente de trânsito não é kármico, não estava traçado no destino, não foi determinação de Deus, mas é única e exclusivamente sua responsabilidade em prevenir.

Ahh!!! mas a culpa foi do outro. Ok! E o que você poderia ter feito para se livrar ou amenizar?

Quando escrevi as matérias para revista da Moto!, “Excluídos” e “Hora de Mudar” e para revista CIPA, “A dualidade da motocicleta: qualidade de vida X acidente de trabalho “in itinere”” (que me valeu o Prêmio ABRACICLO de Jornalismo 2013 na categoria revista)  e “Fatores no acidente de trabalho in itinere com motocicleta”, note como o assunto está intrinsecamente relacionado um com o outro; senão vejamos: o Estado equivocadamente excluiu o veículo de duas rodas motorizado da Política Nacional de Mobilidade Urbana, soma-se a isso, o deficitário sistema de educação para o novo habilitado, explodindo tudo nas mãos de alguém, que é cobrado para consertar ou tentar minimizar os efeitos de uma política educacional pífia.

Não vou aqui, ampliar a discussão para outros setores, o Centro Paula Souza criou a matéria de Mobilidade e eu mesmo, estou viajando todo o Estado de São Paulo, visitando ETEC´s e FATEC´s, realizando ações que já fazia nas empresas, todavia, com mais conteúdo, por ter mais tempo. (leia aqui) E a Universidade Federal de Rondônia, é a primeira universidade no Brasil, não só a estudar o trânsito, mas oferecer curso de pilotagem, adotando meu projeto como matéria de extensão universitária. (leia aqui)

Voltando a cerne da questão, cabe aos Técnicos e Engenheiros de Segurança do Trabalho a missão de consertar ou minimizar os efeitos desses equívocos, para em uma visão puramente capitalista, amenizar prejuízos com o afastamento de um colaborador por acidente de trabalho in itinere ou de trajeto.

A questão remuneração foi superada, todavia, a questão TEMPO, ainda é uma questão palpitante para se resolver. Todavia, fico estarrecido quando sou chamado em alguma empresa e o técnico ou o engenheiro em tom quase que implorando para eu não levar mais de 30 ou 40 minutos. Não vou nem comentar o abatimento do caboclo ou cabocla, às vezes a olheira de exaustão, digno daquele que está sendo fritado, causa constrangimento.

Como pode?

Será que alguns executivos pensam que o pessoal de Segurança do Trabalho mudou de ramo?

Sim, porque mágica só no circo ou casas de shows.

Se o grande problema do nosso trânsito é a violência por falta de educação que foi ofertada com pouquíssimo tempo, sem levar em consideração as falhas de ordem conceitual, como por exemplo, a frenagem adequada de uma motocicleta ou o ajuste do retrovisor de um automóvel; como este executivo quer que em 30 minutos ou 40 minutos, uma vez por ano (quando o ideal seria 3 ou mais vezes) a Segurança do Trabalho evite que o colaborador fique ileso sem se afastar do trabalho por uma ou duas semanas, talvez meses, talvez nunca mais volte???

É difícil entender ou precisa desenhar que educação de qualidade com tempo, diminui o risco de acidente, no caso acidente de trabalho. E tal ação gera lucro.

Se os profissionais em Segurança do Trabalho têm a função de garantir a segurança através da adoção de medidas com o objetivo de minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade física e psíquica dos trabalhadores durante a atividade laboral ou durante o seu trajeto na ida e volta ao trabalho, necessário que a empresa esteja ao lado da Segurança do Trabalho. Cobrar sem dar condições, me parece bem equivocado.

Se Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes laborais, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade do trabalhador, inclusive com vasta garantia legal, não se pode ficar só na teoria, mas a prática demanda tempo.

Gosto de citar como exemplo o case Antoniosi, cujo dono, parou a linha de produção para eu realizar as ações necessárias com tempo. Resultado: de agosto de 2016 à março de 2017, não teve um só acidente in itinere com motocicleta, bicicleta ou automóvel.  Necessário deixar bem claro: a empresa já vinha tomando uma série de iniciativas, todavia, depois da ação realizada em agosto de 2016 o resultado foi ZERO acidentes por 7 meses. (click aqui para ler a matéria)

Por fim, o óbvio: cultura só se adquire com tempo de educação. Por isso, o escopo do projeto é aculturar a sociedade em segurança viária e duas rodas, mas não se faz em 20, 30 ou 40 minutos. Leia mais aqui sobre o projeto.

Fonte: MOTO SEGURANÇA E TRÂNSITO | André Garcia, do R7

André Garcia

14ucgm9b37_4cbhd1de8i_file

André Garcia é motociclista, advogado, jornalista, especialista em segurança de trânsito, palestrante com forte atuação em segurança do trabalho de trajeto ou “in itinere”. É autor do Projeto Motociclismo com Segurança, colaborou com as mídias Motonline, Best Riders, Revista da Moto!, Cartão de Visita/R7, Anfamoto, Perkons, além das revistas CIPA e SafeWork. Homenageado pelo Dia Internacional do Motociclista em 09/08/2013 pela Câmara Municipal de São Paulo e Associação Comercial de São Paulo com o Troféu “Marco do Paz” destinado a quem se destaca em trabalhos de ação social e pela construção da cultura de paz no mundo.

 

Publicado em Comportamento, Mercado | Marcado com | Deixe um comentário

FIM DE SEMANA COM PROVAS NO PARAGUAI E NA ARGENTINA

FIM DE SEMANA COM PROVAS NO PARAGUAI
E NA ARGENTINA

pro-tork-racing-team-disputa-provas-no-paraguai-e-na-argentina-2359

Jose Felipe – Foto: Divulgação

Pilotos brasileiros participam de duas provas fora do país neste fim de semana, dias 4 e 5 de agosto: a quinta etapa do Campeonato Paraguaio de Velocross e a sexta do Argentino de Motocross. Eles têm como objetivo o lugar mais alto do pódio.

Quem alinha no gate do Paraguaio é Carlos Eduardo Franco, que está invicto nas categorias VX1, VX2 e Força Livre Nacional. “A expectativa é a melhor possível. Por mais que eu tenha boa vantagem, quero continuar dando o meu melhor para me aproximar dos títulos de maneira antecipada”, afirma.

E quem encara o Argentino é Jose Felipe, segundo colocado na classificação da classe principal, a MX1. “Algumas lesões atrapalharam meu desempenho no primeiro semestre, tenho que correr atrás do prejuízo se quiser ser campeão. Venho trabalhando firme para isso”, explica.

 

Publicado em Competições, Motocross | Marcado com | Deixe um comentário