WARHAWK – A PRIMEIRA CURTISS EM 105 ANOS E A ÚLTIMA A GASOLINA

WARHAWK – A PRIMEIRA CURTISS EM 105 ANOS E A ÚLTIMA A GASOLINA

Warhawk é o nome do modelo que irá fazer reviver
a antiga marca de motos Curtiss…

screen-shot-2018-07-24-at-174307Mas é também a última a gasolina a ser produzida antes da marca se concentrar apenas em motos elétricas. A Warhawk vai ser por isso uma “edição limitada” a apenas 36 unidades produzidas e colocada no mercado a preços de super carros esportivos.

Já era um fato conhecido que a Curtiss Motorcycles está investindo num futuro totalmente elétrico, com todos os seus recursos direcionados para o desenvolvimento e produção de alguns das mais radicais “e.roadsters”. O seu novo modelo Zeus representa o primeiro passo no que esperamos se venha a tornar numa linha completa de motos elétricas.

1024-2000

Zeus elétrica e Warhawk a última a gasolina

O nome Warhawk certamente lembra de outras motos que costumavam ser vendidas sob o emblema da Confederação, e isso porque Curtiss é a nova “Confederada”. Existem várias semelhanças entre os dois projetos e a Curtiss diz que irão ajudar a transição. Warhawk é a primeira máquina a exibir o logo da Curtiss em 105 anos e é de fato um marco, pois representa o renascimento de uma marca antiga e o fim da era da gasolina para este fabricante também.

A Curtiss Warhawk tem um motor brutal, um V-twin de 2,163 cc que pode produzir 150 HP a 5.100 rotações e um pico de torque de 217 Nm a 2.000 rpm apenas. A eletrônica e a injeção de combustível vêm da Delphi e o corpo do acelerador é fornecido pela S & S.

A transmissão é uma caixa de 5 velocidades da Andrews com uma embreagem hidráulica Bandit multi-disco.

O chassi da Warhawk é uma estrutura monocoque modular maquinada em alumínio, com um backbone tubular de 7 ”(17,8cm) que também serve como depósito de combustível de 16,2 litros, com os exclusivos painéis de vidro da Confederação. A suspensão dianteira é equipada com um amortecedor Racetech de competição, totalmente ajustável na compressão para alta e baixa velocidade, pré carga e hidráulico, complementado por um braço oscilante de alumínio do tipo cantilever com um amortecedor Racetech na traseira.

A Curtiss Warhawk pode alcançar os 265 km / h e o poder de frenagem vem de dois discos dianteiros Aeronal de 230 mm onde atuam pinças radiais Aerotec de 4 êmbolos, ambas da Beringer. A roda traseira possui um disco perfurado de 240 mm e uma pinça de 2 êmbolos, também da Beringer. Ambas as rodas são de carbono, fornecidas pela BST.

Apenas 36 Warhawks serão fabricadas, mas certamente que os colecionadores irão lutar para garantir uma unidade antes que as mesmas possam ser encontradas apenas em leilões.

Fonte: https://www.motosport.com.pt | Pedro Rocha

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Apresentação, Economia, Mercado, Motociclismo e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s