PIKES PEAK 2018: RAFAEL PASCHOALIN EM BUSCA DO TOPO

PIKES PEAK 2018: RAFAEL PASCHOALIN
EM BUSCA DO TOPO

Domingo, dia 24 de junho de 2018, Rafael Paschoalin, piloto Yamaha Racing, disputará novamente uma das corridas de moto mais emblemáticas e perigosas do mundo

unnamed (12)

Foto: Felipe Moreira Films

A subida do Pikes Peak, em Colorado Springs, nos Estados Unidos, é uma lendária competição tão diferente quanto especial, a começar pelo fato de ser centenária, chegando este ano a sua 102ª edição.

O que a torna tão peculiar e famosa é o fato de ser uma disputa para eleger o piloto mais rápido – entre diversas categorias de motocicletas e carros – a subir uma sinuosa estrada com 20 km de percurso e nada menos que 156 curvas dos mais variados raios. A largada acontece a cerca de 2300 m de altitude e a chegada a mais de 4300 m, fazendo com que o ar rarefeito coloque ainda mais à prova as máquinas e seus pilotos.

Para disputá-la é preciso, além de muita perícia e preparo físico, uma grande dose de coragem, já que a maior parte das curvas são à beira de precipícios e não contam com qualquer tipo de proteção ou contenção.

Para superar novamente todos esses desafios, Rafael Paschoalin aposta na sua experiência em outras competições igualmente desafiadoras em que também foi o primeiro brasileiro a participar, como o Tourist Trophy na Ilha de Man e a North West 200, disputada na Irlanda no Norte.

Já no Pikes Peak, esta é a terceira vez que o piloto da Yamaha disputa essa prova. No ano passado, a bordo de uma Yamaha MT-07, Paschoalin conseguiu um histórico segundo lugar na categoria middleweight, até então, disputada por motos com capacidade cúbica entre 501 e 750cc. Contudo, para tornar o desafio deste ano ainda maior, a organização da competição alterou o regulamento, subindo a capacidade da categoria para motos de até 1000cc.

Por conta disso, a vantagem que Paschoalin tinha em termos de desenvolvimento de sua MT-07 foi perdido, voltando à estaca zero todo o trabalho necessário para tornar sua moto em uma máquina competitiva.

As principais alterações na Yamaha MT-09 que disputará o Pikes Peak em 2018, foram a redução do tanque de combustível – para diminuição do centro de gravidade –, o rebaixamento da suspensão dianteira, a utilização de um sistema de escapamento esportivo, o remapeamento da injeção eletrônica e a eliminação de peso, abolindo itens desnecessários em uma moto de corrida.

Segundo Rafael Paschoalin, “A MT-09 tem as mesmas qualidades da MT-07, porém no superlativo. Ela é uma motocicleta cujas respostas são extremamente rápidas, surpreende na agilidade e na rapidez com que é capaz de realizar as mudanças de direção entre uma curva e outra. Com ela, tenho a meu favor um torque monstruoso que garante acelerações e retomadas bem rápidas, tudo que uma motocicleta precisa para vencer em Pikes Peak. Mesmo com muito pouco tempo para desenvolvê-la e com alguns problemas que tive em uma peça aftermarket que utilizei para ganhar mais potência – que me colocaram em desvantagem na ordem de largada –, acredito que eu e minha MT-09 temos grandes chances de surpreender”.

A prova do Pikes Peak será disputada hoje, domingo (24/06), nos Estados Unidos. Acompanhe todas as informações sobre a participação do piloto Yamaha Rafael Paschoalin, com fotos e vídeos pelo Facebook, na Fan Page oficial da Yamaha www.facebook.com/yamahamotorbrasil e através do Instagram, em yamahabrasil.

Fonte: Laner Azevedo – Assessor de Imprensa

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Competições, Motociclismo e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s