MOTOGP – GP DA ARGENTINA: CAL CRUTCHLOW VENCE CORRIDA DE LOUCOS

MOTOGP – GP DA ARGENTINA: CAL CRUTCHLOW VENCE CORRIDA DE LOUCOS

O GP da Argentina começou com um atraso na largada provocado por uma má escolha de pneus da maioria dos pilotos, à exceção de Jack Miller (Alma Pramac Racing), que decidiram trocar de pneus de chuva para slicks à última da hora, o que provocou uma corrida aos boxes depois dos pilotos já estarem alinhados

dapatkan-paket-baru-cal-crutchlow-beberkan-perkembangan-honda-musim-2018-XLxt3uwxfp

A situação levou a organização a adiar a largada por questões de segurança, mas a verdade é que numa corrida declarada como flag to flag, devido à instabilidade das condições do tempo, esta foi uma situação inadmissível.

A verdade é que depois de tudo isto, todos os pilotos, regressaram à linha de largada para ocuparem uma posição a cerca de 14 metros da primeira linha do grid, numa decisão tomada entre a direção de corrida e os responsáveis pelas equipes, quando o correto teria sido saírem da linha da boxes, por atrasarem a largada.

O mais estranho estava por acontecer, já que Marc Marquez (Honda) deixou a sua moto desligar na linha de partida, já depois da volta de apresentação e quando se preparava a partida e a direção de corrida permitiu que a colocasse de novo em marcha e recolocasse na sua posição, quando deveria ter imediatamente seguido para a linha de boxe. Uma situação verdadeiramente bizarra, que deixa a direção de corrida do Mundial com nota negativa nesta segunda etapa do campeonato. Mas o caso não ficaria por aqui.

Na largada, Jack Miller saiu na frente, mas rapidamente foi apanhado por Marc Márquez que assumiu o comando, numa altura em que Johann Zarco (Monster Yamaha Tech3) e Dani Pedrosa (Honda) tocavam-se e o espanhol sofria uma queda o que o deixou fora da corrida.

Na frente Marc Márquez e Jack Miller, fugiam aos seu mais diretos adversários liderados por Alex Rins (Suzuki), que tinha na sua roda Zarco e Cal Crutchlow (LCR Honda). Isto numa altura em que a direção de corrida abria uma investigação à situação da largada de Marc Márquez acabando por penalizar o Campeão do Mundo com uma passagem pelo boxe.

Tudo aconteceu a 19 voltas do final e com esta situação Miller ficou na frente da corrida e Marc Márquez caiu para 19º. Aproveitando o revés do espanhol da Honda, Alex Rins, subiu a segundo e Zarco a terceiro, enquanto Cal Crutchlow era agora quarto, na frente de Andrea Dovizioso, que na quinta posição era o melhor piloto oficial da Ducati.

Um toque de Márquez em Aleix Espargaró (Aprilia) quando ambos lutavam pela 18ª posição levou a que o espanhol voltasse a perder uma posição, numa corrida para esquecer para o Campeão do Mundo.

Na frente, Alex Rins espreitava a oportunidade para ultrapassar Miller, enquanto Zarco e Crutchlow seguiam de perto a luta entre os dois primeiros.

Atrás dos quatro da frente, Andrea Dovizioso e Maverick Viñales lutavam pelo quinto lugar com o piloto da Yamaha a levar a melhor e seguido pouco depois pelo seu companheiro de equipe, Valentino Rossi, que subia ao sexto lugar em troca com Dovizioso, que começava a perder terreno.

Numa corrida intensa a luta pelos lugares do pódio estava acirrada e a nove voltas do final Alex Rins ultrapassava Miller e subia à liderança, mas por pouco tempo já que na volta seguinte o espanhol da Suzuki cometeu um erro, ao alargar uma trajetória e Miller regressou ao primeiro lugar, com Crutchlow a aproveitar para ascender à segunda posição, e Zarco ao terceiro lugar.

O britânico da LCR Honda estava mais rápido e não tardou a passar por Jack Miller, com o australiano a alargar em demasia uma curva e numa assentada a passar de primeiro para quarto, atrasando-se na luta pelo pódio.

Desta forma, a cinco voltas do final a luta pela vitória estava entregue a três pilotos. com Crutchlow na frente, seguido por Zarco e Rins. Mais atrás, Marc Márquez subia ao sétimo posto em troca com Andrea Dovizioso e numa tentativa desesperada de ganhar posições e passar por Valentino Rossi acabou por empurrar o italiano para o chão. Uma manobra que acabou provocando uma penalização de 30s, por pilotagem irresponsável o que fez com que Márquez terminasse fora dos pontos no 18º lugar.

Na frente era a vez de Johann Zarco ascender à liderança, quando faltavam quatro voltas para o final. Contudo, Crutchlow no segundo lugar não parecia disposto a facilitar e a duas voltas do fim da corrida regressou ao comando do pelotão para não mais o largar apesar dos ataques cerrados de Zarco que tudo fez para vencer, acabando por terminar na segunda posição a 0,177s do vencedor, enquanto Alex Rins foi terceiro a 2,501s.

A fechar o top cinco Jack Miller na quarta posição a 4,390s, enquanto Maverick Viñales foi quinto a 14,941s.

Após o GP da Argentina, Cal Crutchlow é o novo líder do Mundial com 38 pontos, seguido por Andrea Dovizioso com 35 pontos, enquanto Johann Zarco é terceiro com 28 pontos.

A próxima etapa do Mundial é o GP das Américas, no Texas, a 22 de abril.

Classificação Final

screenshot-29

Fonte: https://www.motor24.pt

Anúncios
Esse post foi publicado em Competições, Motociclismo e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s