MOTOGP: MICHELIN RESPONDE À YAMAHA

MOTOGP: MICHELIN RESPONDE À YAMAHA

Piero Taramasso recusa que os problemas nas Yamaha M1
se devem aos pneus Michelin

hibruqyxyzchppqe1y0a0cw5gi2Depois de um ano de 2016 em que a Michelin regressou à categoria rainha do motociclismo de velocidade, como fornecedor único substituindo a Bridgestone, e onde o fabricante francês de pneus sentiu algumas dificuldades em encontrar o equilíbrio, levando a inúmeras queixas por parte de pilotos e equipes, 2017 foi um ano de sucesso para a Michelin em MotoGP.

Com as lições bem estudadas, na temporada passada já não assistimos a tantas quedas inexplicáveis como aconteceu em 2016. 2017 foi por isso um ano sem problemas para a Michelin… ou talvez não.

Nos habituais balanços de final de temporada, alguns responsáveis e até mesmo os pilotos da Movistar Yamaha, queixaram-se de que os problemas nas YZR-M1 de fábrica tinham a ver com os pneus Michelin. Nomeadamente Valentino Rossi, que se queixou que os pneus estavam mais moles e isso acentuava os defeitos da M1.

Isso explicaria os inúmeros altos e baixos sentidos pela equipe de fábrica ao longo da temporada em que se previa um domínio quase total por parte de Maverick Viñales, que brilhou nos primeiros momentos em pista de 2017, mas que depois foi “afundando” em termos de resultados, com a Yamaha a ser suplantada pelas performances da Repsol Honda e da Ducati.

No entanto, uma outra Yamaha, a moto satélite de Johann Zarco, da equipe Monster Tech3, não teve problemas com os pneus Michelin, e por diversas vezes assistimos a demonstrações de superioridade de Zarco em relação aos pilotos da Yamaha com material de fábrica.

À luz destes resultados, o diretor de operações em pista da Michelin em MotoGP, Piero Taramasso, decidiu agora defender a marca francesa das queixas.

Para Taramasso, a causa dos problemas das M1 da equipe de fábrica não são os pneus Michelin, mas sim outras causas que têm origem nas próprias motos oficiais, dando como exemplo as prestações das restantes motos.

“A ligação criada entre a M1 e os Michelin é um problema, em quase todas as condições, mas principalmente à chuva”, começa por explicar Piero Taramasso, em declarações ao website italiano Gazzeta. “Temos de perceber o porquê e encontrar uma solução. Olho para a Ducati e Honda e penso que os pneus funcionaram bem. Vi a Aprilia e a KTM terminarem o ano a fazerem Top 10. A Suzuki conseguiu acabar o ano encontrando o seu caminho. Na minha opinião, os pneus não influenciaram as suas prestações”.

Mas, então, onde estão os problemas das Yamaha M1?

Segundo Piero Taramasso, os problemas das motos japonesas devem-se às condições de alguns circuitos, como em Jerez ou Barcelona, com pouco “grip”, e também à dificuldade da Yamaha em desenvolver a M1 tendo em conta a eletrônica atualmente disponível para a categoria MotoGP.

“O que é verdade é que a Yamaha sentiu muitos problemas em Jerez e Barcelona, onde não existia muita aderência. Mas de uma forma geral, penso que a Yamaha tem um problema com a gestão eletrônica de MotoGP. Este tipo de problema não é devido aos pneus, pois é igual para todos. Penso que a Yamaha perdeu qualquer coisa no desenvolvimento da moto”.

Será que em 2018 a Yamaha vai conseguir suplantar os problemas com os pneus Michelin, e ao mesmo tempo disponibilizar a Maverick Viñales e Valentino Rossi motos mais equilibradas?

Fonte: http://www.andardemoto.pt

Esse post foi publicado em Competições, Motociclismo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s