A PREOCUPAÇÃO É MUNDIAL: JEAN TODT – “MORTALIDADE RODOVIÁRIA É UMA GRANDE EPIDEMIA, COMO A MALÁRIA, A AIDS OU O CÂNCER”

Para Todt a falta de segurança rodoviária “é muitas vezes ignorada”, apesar dos acidentes nas estradas.

Foto: AFP@GUILLAUME BAPTISTE

Foto: AFP@GUILLAUME BAPTISTE

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, atualmente nomeado representante especial para a segurança rodoviária, comparou a mortalidade nas estradas a uma epidemia como a aids ou o câncer.

“A mortalidade rodoviária é uma grande epidemia, como a malária, a tuberculose, a aids ou o câncer”, disse o antigo patrão da Ferrari depois de ter sido nomeado para representante em Paris por Ban Ki-Moon, secretário-geral das Nações Unidas.

Para Todt a falta de segurança rodoviária “é muitas vezes ignorada”, apesar dos acidentes nas estradas “serem o primeiro fator de mortalidade para os jovens entre os 15 e os 29 anos”, razão pela qual considera que se trata de “um flagelo planetário” e a necessidade de dar a mesma atenção que é dada à sida, à tuberculose ou ao ébola”.

Reconhecendo que não foi encontrada uma cura milagrosa para estas doenças, Todt entende que em termos da segurança rodoviária há muita coisa a fazer, principalmente “a nível da educação, da prevenção, do controle, da melhoria da rede rodoviária e do estado dos veículos em circulação”.

“Na França, desde os anos 70 até hoje, há três vezes mais veículos em circulação, mais quatro a cinco vezes em número de vítimas”, disse Todt, como de resto, demonstraram as estatísticas de acidentes na França em 2014, as quais registraram 3.388 pessoas mortas nas estradas, mais 120 do que em 2013.

No entanto, Todt lembrou que a situação “é ainda mais dramática em muitas partes do mundo”, referindo que 90 por cento dos 1,3 milhões de mortes e as 50 milhões de feridos anuais nas estradas, dos quais 25 por cento “são cidadãos de países em desenvolvimento”, apesar desses países representarem “apenas metade da frota mundial”.

“Em muitos países não se tira a carta de condução, compra-se, e são usados veículos sem condições para circular”, acusou o patrão da FIA, sublinhando que “500 crianças perdem a vida todos os dias nas estradas”.

Para ajudar na sua missão como representante da ONU para a segurança rodoviária, Jean Todt encontrou parceiros no esporte automobilístico, como os pilotos de Fórmula 1 Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, ou mesmo o nove vezes campeão mundial de ralis, o francês Sébastien Loeb, além do tenista espanhol Rafel Nadal e o golfista norte-americano Bubba Watson.

O objetivo de Todt é “reduzir em cinquenta por cento o número de mortes nas estradas até ao ano 2030”, objetivo esse que considera “difícil, mas possível”.

Fonte: SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Anúncios
Esse post foi publicado em Comportamento. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s