Brasil é o segundo lugar no mundo mais perigoso para os motociclistas

Mapa da Violência 2012, do Instituto Sangari, mostra que são 7,1 óbitos a cada 100.000 habitantes

motos-no-transito

Um estudo inédito mostrou o quanto andar de moto no Brasil é perigoso. A chance de se envolver em acidentes de trânsito é 14 vezes maior do que estando de carro. “O brasileiro tem uma baixa cultura de segurança e aceita o risco de dirigir com desatenção, de forma negligente e sem foco nos perigos que podem ocorrer no trânsito”, afirma o professor da Universidade de Brasília (UnB) David Duarte Lima, doutor em Segurança de Trânsito.

Segundo o estudo denominado Mapa da Violência 2012, realizado pelo Instituto Sangari, o Brasil é o segundo país no mundo em número de vítimas fatais de acidentes de motos, só perdendo para o Paraguai. São 7,1 óbitos a cada 100.000 habitantes. Em 15 anos a taxa de mortalidade sobre duas rodas cresceu mais de 800%. “A motocicleta é um veículo que tem suas especificidades e por isso deve ser tratada como tal. É necessário que haja uma legislação, sinalização e fiscalização apropriadas. Enquanto o poder público não olhar com a devida atenção para o veículo de transporte individual que mais cresce no Brasil, as barbáries continuarão acontecendo”, defende Lucas Pimentel, presidente da Associação Brasileira de Motociclistas (ABRAM).

Especialistas afirmam que o crescimento assustador da frota de motocicletas contribui para esses números. De acordo com dados do Denatran, hoje são mais de 18 milhões de motocicletas em circulação no país. Este número representa 25% de toda a frota nacional. Na última década o crescimento foi de 246%. “A facilidade em adquirir este veículo, o poder aquisitivo do brasileiro que aumentou e as vantagens econômicas e de mobilidade, fizeram com que a frota de moto tivesse esse boom no Brasil” diz, Elaine Sizilo, especialista em trânsito e consultora do Portal.

Um dos grandes problemas nas cidades brasileiras é o tráfego das motos nos corredores. Nesse quesito o Brasil faz parte da minoria, é um dos poucos países no mundo que permite a circulação de motos entre os carros. Nos EUA, por exemplo, os índices de morte equivalem a um quarto dos óbitos registrados nas vias brasileiras. Lá as motos só podem andar atrás dos demais veículos.

Lucas Pimentel não acredita que proibindo o tráfego de motos nos corredores no Brasil diminua o problema. “Essa definitivamente não é a questão crucial no nosso país. Nós da Associação, defendemos que é muito mais seguro transitar ao lado dos automóveis do que atrás deles, pois o campo de visão do motociclista fica prejudicado. Nesse caso, um buraco ou um objeto na pista pode levar a um grave acidente”, afirma Pimentel. Para ele, o maior problema é o número de motociclistas que dirige sem habilitação. “Hoje a legislação não obriga a apresentação da CNH para a compra da moto, por isso muitos compram o veículo e antes de se habilitar já estão nas ruas e sem conhecimento nenhum”, explica.

O problema seria amenizado se houvesse investimento em conscientização, educação e fiscalização. “Enquanto o motorista olhar para a moto como um veículo intruso- que não deveria estar ali- estas tragédias continuarão ocorrendo. É claro que o motociclista deve respeitar as leis, a sinalização e utilizar os equipamentos de segurança, mas o essencial mesmo é um grande investimento em educação para todos os usuários do trânsito”, conclui Pimentel.

Segurança do Motociclista
Os principais cuidados para evitar acidentes com motociclistas são:
* Manter uma distância segura.
* Tomar cuidado em conversões à esquerda e à direita, pois os motoqueiros costumam transitar nos “pontos cegos”.
* Conferir o que se passa atrás, constantemente, pelos retrovisores.
* Ter cuidado ao abrir as portas do veículo quando estiver estacionado ou parado em congestionamentos e cruzamentos.
* Para ultrapassar uma motocicleta, usar os mesmos cuidados utilizados nas ultrapassagens de veículos.
* Condutor sem capacete é sinal de negligência e imprudência: redobrar o cuidado.
O Motociclista deve:
* Utilizar os equipamentos de segurança: capacete, viseira, luvas, botas e roupa adequada.
* Manter sua moto em perfeito estado.
* Reservar um espaço de segurança à sua volta, equivalente ao espaço de um automóvel.
* Ter cuidado com motoristas distraídos.
* Ser previsível, sinalizando sua presença e certificando-se de que está sendo notado, por ser pequeno e difícil de ser percebido.
* Usar o farol baixo ligado, mesmo de dia.

Fonte: http://www.portaldotransito.com.br/reportagens-especiais/brasil-e-o-segundo-lugar-no-mundo-mais-perigoso-para-os-motociclistas.html
Legenda: O Brasil só perde para o Paraguai em número de motociclistas mortos.

Anúncios
Esse post foi publicado em Comportamento. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Brasil é o segundo lugar no mundo mais perigoso para os motociclistas

  1. lista de email disse:

    great site, i like it. greetings. lista de email lista de email lista de email lista de email lista de email

  2. lista de email disse:

    great site, and super article. lista de email lista de email lista de email lista de email lista de email

  3. lista de emails disse:

    the amount of blogs on the internet is increasing, and they’re about lots of subjects. in the middle of so many of them, is your blog which i found to be very useful for everybody. lista de emails lista de emails lista de emails lista de emails lista de emails

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s