Tatuagens de motos – Liberdade e ousadia

Motociclismo e tatuagem são duas atividades, uma esportiva e outra cultural, que caminham de mãos dadas. Têm em comum a liberdade e a ousadia. A liberdade de cada um escolher o seu próprio caminho e a ousadia de assumir essa atitude

Texto e fotos: Jotta Santana

Uns explicam como paixão. Outros, como estilo de vida. Cada um tem a sua razão e a sua história. E tem os que levam esse relacionamento ao extremo tatuando motivos moticiclísticos, para deixar registrada na própria pele a intensidade da sua identificação com seu objeto de desejo. Para conhecer as razões e as histórias de cada um, entrevistamos tatuados (com motivos motociclísticos) e tatuadores sobre o assunto. Todos motociclistas, é claro. A pergunta feita para todos foi a mesma: “qual é a relação que você vê entre motociclismo e tatuagem?”.

Chrys Miranda é proprietário da oficina/loja/bar Garage Metallica, especializada na customização de motos Harley-Davidson (exclusivamente), trabalha na área há mais de 17 anos (no Brasil desde 2003) e tem várias tatuagens espalhadas pelo corpo. A primeira delas é um grande e destacado logotipo HD (Harley Davidson) tatuado nas costas, na altura dos rins, feita ainda no tempo em que ele morou em San Francisco, na Califórnia, por um artista chamado Barnavy. Na opinião do Chrys: “Fazer uma tatuagem com motivo motociclístico é uma coisa que acontece dependendo do seu envolvimento com o assunto. O logotipo HD nas minhas costas foi a minha primeira tatuagem e foi feita no início do meu trabalho com a marca. Tenho mais dois símbolos, um em cada braço, que fiz em memória de um customizador chamado Indian Larry, que morreu em 2004. Tem gente que faz todas as tatuagens com temas motociclísticos. Eu acabei tatuando outros motivos também, mas essas são de duas etapas diferentes e muito marcantes da minha vida. Porquê o logotipo da HD? Porque eu sou monomarca!”.

Depois do Chrys, ouvimos o Tino e o Led, do Led’s Stúdio, dois tatuadores familiarizados com o tema. A opinião dos dois é muito parecida: “Sem sombra de dúvida a relação que existe, e é muito forte, entre motociclismo e tatuagem é a liberdade. Nós fazemos tatuagens há 30 anos. Até existe um pouco de rebeldia relacionado, mas a tatuagem sempre foi relacionada com a liberdade: você fazer o que quer, na hora que quer, do jeito que bem entende! E moto também tem muito disso, aquela coisa do vento na cara, de viajar sem muito planejamento. Então, a associação vem do prazer da liberdade. Além disso, muita gente também homenageia a marca da sua preferência com uma tatuagem”.

O piloto de motovelocidade Herbert Zangrossi, o “Herbão”, campeão da prova “200 Milhas de Interlagos” em 2009, tem duas tatuagens relacionadas ao tema, uma moto custom no braço direito e um pistão com biela na perna esquerda. Ele justifica dizendo: “O motivo das minhas tatuagens é a paixão pelos motores e pelas competições. A da moto foi feita quando eu era ainda bem jovem e tinha mesmo a ver com esse fascínio que sempre tive por motos. Foi feita copiando uma foto que eu guardei durante anos só para essa finalidade. E o pistão na perna tem um significado mais objetivo: uma vez eu quebrei a perna esquerda, mas não parei de dispoutar o campeonato mesmo com a perna engessada, e os meus amigos diziam que eu tinha uma ‘perna mecânica’. Depois que tirei o gesso e ficou só a cicatriz, fiz a tatuagem em cima só pra justificar o apelido (muitos risos). Quem tatuou foi o Jameson, do Abutres”.

O advogado Guilherme Cavazzana tem um V2 envolto em chamas tatuado na canela da perna esquerda, trabalho feito pelo tatuador Júlio Tarallo. A razão é a mesma: “Minha paixão por motos vem desde moleque, desde as Mobylettes até chegar em estágios mais avançados. A relação que eu vejo entre moto e tatuagem? Bom, moto eu sempre tive. Agora, tatuagem, levou trinta e três anos para eu me decidir a fazer a primeira. Não foi uma decisão “da noite pro dia” e o assunto escolhido tem tudo a ver com o meu amor pelas motos. Eu costumo dizer que posso ficar sem mulher, mas não fico sem moto. Por isso a tatuagem é de um motor de moto e não de uma ‘pin-up’”.

E o tatuador Júlio Tarallo, que também já foi piloto de motovelocidade e produtor teatral, tem uma marca definitiva na parte interna do bíceps do braço esquerdo – uma moto de corrida tatuada pelo Tino – registrando seus tempos de pista. É uma homenagem tanto à sua própria carreira (nas cores do macacão) quanto ao ídolo Alexandre Barros (nas cores do capacete). É dele a definição mais emocionada sobre o tema: “Pra mim, a relação que existe entre motociclismo e tatuagem é a ousadia. Por isso existe uma verdadeira cultura de tatuagem entre os motociclistas, desde a época das gangues americanas retratadas em vários filmes. Porque, para fazer uma marca definitiva na sua pele, é preciso ser ousado, você tem que ter atitude. E para subir numa moto super potente e enfrentar com ela uma pista, ou uma estrada sem limites ou destino (“Easy Rider”) também é preciso ser ousado”.

Fotografia?
Aprenda
com quem sabe:
www.techiumage.com.br

About these ads
Esse post foi publicado em Comportamento. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Tatuagens de motos – Liberdade e ousadia

  1. unlock 3gs disse:

    Hello! I’ve been reading your site for a while now and finally got the courage to go ahead and give you a shout out from Humble Texas! Just wanted to say keep up the fantastic job!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s